21 de set de 2011

Andanças musicais

Brasília é uma cidade de culturas diversas, para todos os gostos, e o melhor, com muita atração de graça ou com preço bem acessível. As semanas por aqui são bem agitadas...

A cidade é muita conhecida por revelar várias das principais bandas do país. Os garotos que vieram para Brasília no final dos anos 80 e 90 acharam um jeito de se divertir neste serrado, no meio do “nada”.

O Legião Urbana é um dos mais lembrados, principalmente agora com o filme sendo lançado, depois vieram os mais contemporâneos Capital Inicial, Plebe Rude, Finnis Africae, Detrito Federal, Arte no Escuro, 5 Generais, Beta Pictoris, e a safra dos anos 90 foi: DFC, Raimundos, Low Dream, Little Quail, Oz, Câmbio Negro, Maskavo Roots, Natiruts, Prot(o) e Móveis Coloniais de Acaju.

Uma surpresa foi a Zélia Duncan, que apesar de carioca, a cantora carrega em sua carreira uma sementinha da cidade que hoje completa 50 anos. Foi na Sala Funarte – onde novos artistas ganhavam espaço para se apresentar – que, segundo a própria Zélia, recebeu “uma opção de vida definitiva”.

Lembrando que a grande parte desses músicos não são brasilienses, a cidade que completou 50 anos em 2010, tem agora suas primeiras gerações de nascidos na capital.

Tem uma análise no blog Grabois.org, feito pela Carolina Maria Ruy, que acho muito interessante, é uma análise dessa música que nasceu no centro-oeste. Uma parte para o gostinho...

"Os integrantes destas bandas não nasceram em Brasília. Renato Russo, vocalista do Legião Urbana é carioca, Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial, é de Curitiba e Philippe Seabra, do Plebe Rude, nasceu em Washington DC.

Garotos de uma classe média “bem de vida”, filhos de funcionários públicos, bancários e diplomatas, quase todos mudaram-se com a família para a nova capital entre a infância e a adolescência. Foi lá, entretanto, no centro oeste brasileiro, que eles aconteceram.

O modo de vida urbano e o sentimento de injustiça social foram intensamente reforçados por estas bandas, não apenas nas letras mas nas batidas que lembram a produção industrial e o ritmo frenético das cidades".

Clique no nome do blog e leia esse texto, vale a pena.

Nas fotos: eu, minha mãe Roseneide, minha tia Cleidenice no Clube do Choro, o nome já diz tudo, lugar mto bom! E com os cumpadres Thalita e Daniel, no Suvaco da Asa, um bloco carnavalesco fundado por cariocas que moram na capital e que resolveram fazer uma homenagem ao famoso bloco do Rio de Janeiro "Suvaco do Cristo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário