21 de set de 2011

Registros de agenda














Passado e presente de descobertas musicais marcam a cidade, mas não somente no rock, como Brasília recebeu muitos nordestinos para trabalharem nas suas obras, e que por aqui ficaram, isso também é muito forte nas atrações da cidade, a festa do São João aqui teve Gilberto Gil e Elba Ramalho e sempre algum grupo vem agitar uma micareta, Asa de Águia, Chiclete com banana, Ivete...e assim vai!

Para quem gosta da MBP também existem muitas opções, os centros culturais (Banco do Brasil, Itaú, Clube do Choro, etc) e o próprio governo do distrito e Ministério da Cultura promovem shows lindos, de graça e com ícones da música brasileira.

Os dois últimos shows de “grátis” que conseguimos ir: o concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional com a participação do pianista Arthur Moreira Lima, e o Milton Nascimento (perfeito). Essa semana tem Oswaldo Montenegro…a agenda aqui é bem recheado de coisas boas

video

Andanças musicais

Brasília é uma cidade de culturas diversas, para todos os gostos, e o melhor, com muita atração de graça ou com preço bem acessível. As semanas por aqui são bem agitadas...

A cidade é muita conhecida por revelar várias das principais bandas do país. Os garotos que vieram para Brasília no final dos anos 80 e 90 acharam um jeito de se divertir neste serrado, no meio do “nada”.

O Legião Urbana é um dos mais lembrados, principalmente agora com o filme sendo lançado, depois vieram os mais contemporâneos Capital Inicial, Plebe Rude, Finnis Africae, Detrito Federal, Arte no Escuro, 5 Generais, Beta Pictoris, e a safra dos anos 90 foi: DFC, Raimundos, Low Dream, Little Quail, Oz, Câmbio Negro, Maskavo Roots, Natiruts, Prot(o) e Móveis Coloniais de Acaju.

Uma surpresa foi a Zélia Duncan, que apesar de carioca, a cantora carrega em sua carreira uma sementinha da cidade que hoje completa 50 anos. Foi na Sala Funarte – onde novos artistas ganhavam espaço para se apresentar – que, segundo a própria Zélia, recebeu “uma opção de vida definitiva”.

Lembrando que a grande parte desses músicos não são brasilienses, a cidade que completou 50 anos em 2010, tem agora suas primeiras gerações de nascidos na capital.

Tem uma análise no blog Grabois.org, feito pela Carolina Maria Ruy, que acho muito interessante, é uma análise dessa música que nasceu no centro-oeste. Uma parte para o gostinho...

"Os integrantes destas bandas não nasceram em Brasília. Renato Russo, vocalista do Legião Urbana é carioca, Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial, é de Curitiba e Philippe Seabra, do Plebe Rude, nasceu em Washington DC.

Garotos de uma classe média “bem de vida”, filhos de funcionários públicos, bancários e diplomatas, quase todos mudaram-se com a família para a nova capital entre a infância e a adolescência. Foi lá, entretanto, no centro oeste brasileiro, que eles aconteceram.

O modo de vida urbano e o sentimento de injustiça social foram intensamente reforçados por estas bandas, não apenas nas letras mas nas batidas que lembram a produção industrial e o ritmo frenético das cidades".

Clique no nome do blog e leia esse texto, vale a pena.

Nas fotos: eu, minha mãe Roseneide, minha tia Cleidenice no Clube do Choro, o nome já diz tudo, lugar mto bom! E com os cumpadres Thalita e Daniel, no Suvaco da Asa, um bloco carnavalesco fundado por cariocas que moram na capital e que resolveram fazer uma homenagem ao famoso bloco do Rio de Janeiro "Suvaco do Cristo".

15 de abr de 2011

Fotos de domingo!

Num domingo qualquer, voltando para casa, tirei algumas fotos da cidade, do carro mesmo. Seguem as imagens para vocês conhecerem um pouco mais: Esplanada (com o mastro oficial, o maior do Brasil), Igreja, a Biblioteca e o Museu Nacional, Teatro Nacional, Palácio do Buriti, a Igreja Militar e o Cruzeiro (lugar que foi realizado a primeira missa em Brasília). Todas as fotos foram tiradas em uma única avenida, que é o eixo monumental, é possível ver todos os principais pontos turísticos de forma bem fácil.








Andança cultural

No domingo, dia 27, a andança foi cultural! Visitamos a exposição Oneness, da artista japonesa Mariko Mori, no Centro Cultural do Banco do Brasil.

Segundo informações do site do CCBB, a artista utiliza o design e a arte de vanguarda para compor elementos de engenharia de ponta, interativos e de impacto físico e visual. A exposição apresenta dez trabalhos com complexidade tecnológica, entre os trabalhos, provenientes de acervos da Europa, Estados Unidos e Japão, estão:

Wave Ufo, um objeto híbrido de grande escala, máquina e escultura ao mesmo tempo, que funde, em tempo real, computação gráfica, ondas cerebrais, som e uma engenharia arquitetônica para criar uma experiência interativa dinâmica.

Oneness, que apresenta um círculo de seis figuras confeccionadas em technogel (material novo, que fica entre o sólido e o líquido), medindo 1,35 m, que interagem ao toque do visitante.

Transcircle, um anel de nove pedras de vidro coloridas e brilhantes, controlado interativamente, numa fantástica reinterpretação dos círculos de monólitos pré-históricos.

A exposição é bonita, a fila para interagir com os elementos demorava horas, portanto só visitamos mesmo. Mas, precisa viajar para entender algumas coisas, aquelas artes abstradas que custam absurdos, são famosas, e de uma simplicidade que meu Fernandinho, sobrinho-afilhado de um ano, faria igual! Coisas do mundo artístico…

Twestival

No dia 24 de março, foi a minha vez de participar de outro evento comunicacional, o Twestival – Tweet, Meet, Give. O nome vem da soma de Twitter + Festival, um evento que reuniu pessoas para twittar e se conhecerem.

Fui ao evento para matar a curiosidade e assistir as palestras que tinham temas interessantes sobre as mídias sociais. Além disso, a noite teve apresentações de DJs e bandas locais.

O Twestival é uma iniciativa global, que aconteceu simultaneamente em 153 cidades do mundo, também é um evento social e beneficente que, em Brasília, apoiou o Comitê pela Democratização da Informática do Distrito Federal, instituição nacional de cunho social e filantrópico, que trabalha pela inclusão digital de pessoas menos favorecidas.

Durante o evento, que foi realizado durante a tarde e noite, os twitteiros comparecerem com seus smartphones, iphones, ipads e laptops para twittar em tempo real.

Brasília foi a segunda capital do mundo a arrecadar mais recursos durante o Twestival BSB, o festival de seguidores do Tweeter que mobilizou milhões de internautas simultaneamente em 153 cidades em todo o mundo. A capital federal arrecadou US$ 39 mil (R$ 65 mil), ficando atrás apenas de Ryadh, capital da Arábia Saudita, que conseguiu levantar US$ 47 mil (equivalente a R$ 78,4 mil) para obras beneficentes daquele país.



Mais informações no site http://brasilia.twestival.com

Andança comunicacional

Durante nossas andanças, também temos tempo para eventos intelectuais. No dia 23 de março, o Chico participou da Roda de Debates promovida pelo Grupo de Mídia de Brasília, com o tema regionalização da mídia.

O evento foi realizado no auditório do Correio Braziliense e reuniu especialistas do mercado publicitário, além de representantes de empresas de comunicação, do Ipobe e do governo federal.

Além do Chico, que representou a iniciativa privada, participaram o Fabrício Costa, da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Guga Mafra, da FTPI Digital, Marco Formenton, do Ibope, Adriano Kalil, da Central de Comunicação, Dário Valentino, representante do SBT Brasília, e como mediador Carlos Alexandre, editor-executivo do jornal.

Os participantes debateram o assunto durante uma hora e depois teve mais uma hora de perguntas. Como o Chico levantou a discussão sobre a regionalização no meio digital, assunto que mais instigou os cerca de 180 participantes, quase todas as perguntas foram direcionadas para ele, foi uma prova de fogo...

Se quiserem saber sobre o assunto, tem uma matéria no Correio Online: Internet é desafio para regionalização de mídia



15 de mar de 2011

Ponte JK, uma beleza conhecida pelo superfaturamento



Aproveitamos a nossa ida ao Pontão do Lago Sul, post abaixo, para tirarmos fotos em um dos cenários mais famosos de Brasília, a Ponte Juscelino Kubitschek.

A ponte JK, como é conhecida, foi interditada e passou por manutenção em janeiro e fevereiro deste ano, agora está liberada. Ela apresentou dilatação de 3 a 4 centímetros, que provocou oscilações anormais na estrutura.

A sua arquitetura é muito bonita mesmo. Os três arcos inspirados pelo movimento de uma pedra quicando sobre o espelho d'água, se sustentam em três tabuleiros com vão de 240 metros cada. O projeto é do arquiteto Alexandre Chan.

Segundo informações do site do Ministério do Transporte (www2.transportes.gov.br), a quantidade de aço aplicada na Ponte é duas vezes maior que a utilizada na construção da Torre Eiffel, em paris (França).


O volume de concreto submerso é suficiente para construir três superquadras inteiras, com 2 mil apartamentos.
 As máquinas de perfuração são do mesmo tipo que as utilizadas na construção da Ponte Rio - Niterói (Rio de Janeiro).


Um dos principais cartões postais de Brasília, a ponte foi inaugurada há oito anos, durante o governo Joaquim Roriz, e foi alvo de críticas pelo seu valor. O preço inicial do projeto era R$ 40 milhões, mas a obra custou R$ 186 milhões.

Em 2007, os tribunais de Contas da União e do DF apresentaram relatórios com indícios de irregularidades graves na obra: falhas no projeto e suspeito de superfaturamento.
 O Tribunal de Contas do DF cobra a devolução de R$ 26 milhões aos cofres do Governo do Distrito Federal, o que ainda nao ocorreu.

O pontão do DF!















Fomos no pontão duas vezes, na primeira visita, depois do almoço, bem na hora que eu ia começar a sessão fotos, começou a chover (chove todos os dias em Brasília de dezembro até maio, segundo os conhecidos da terra). Portando, as fotos rolaram mesmo somente na segunda visita, com a graça e a presença da dignissíma Roberta Castro, direto de Ribeirão Preto!

O Pontão do Lago Sul, que fica as margens do Lago Paranoá, reúne alguns dos melhores restaurante de Brasília, que também não são dos mais baratos, como era esperado. O lugar vale a pena, sempre com muito movimento, as comidinhas, bebidinhas e a paisagem são perfeitas e a tarde passa, vai do almoço para a janta, sem perceber.

É considerado o maior centro de lazer e entretenimento da capital federal: am do cenário de cartão-postal, gastronomia variada, programação cultural e esportiva, o seu clima quase praiano e pôr-do-sol servem para matarmos as saudades do litoral!

Segundo o site official (www.pontaodolagosul.com.br), que é um lugar administrado pela iniciativa privada, o Pontão recebe todos os meses, em média, cerca de 200 mil pessoas que podem optar chegar de lancha ou de carro.

As duas fotos abaixo, salvei do site oficial citado acima, já que quando chegou a hora de tirarmos fotinhas, já era noite, e não daria para mostrar a beleza do lugar, como falei no começo, a hora passa…



Templo LBV















Visitamos o Templo da LBV para matar a curiosidade, já que o lugar é considerado uma das sete maravilhas de Brasília

O Templo é interessante mesmo, além de contar toda a vida e as honrarias do fundador Paiva Netto, o espaço reúne pessoas que buscam energização e meditação de forma ecumênica.







O Templo da Boa Vontade é a maior construção piramidal do século XX, com 21 metros de altura. Todo de mármore branco, o templo é pólo do ecumenismo religioso e foi inaugurado em outubro de 1989 com a presença de 50 mil participantes.

É o monumento mais visitado de Brasília, segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Distrito Federal (SDET). Em 20 anos, mais de 20 milhões de peregrinos do país e do mundo já visitaram o Templo da Paz.

A maior atração é, sem dúvida, o cristal de 21 kg e 14 cm, localizado no ápice da pirâmide. Responsável por captar a luz do sol para o interior da pirâmide, ele eleva a vibração do salão e faz um trabalho de cromoterapia.

Além desse espaço com o cristal, que é onde acontecem as meditações, também há os espaços anexos à pirâmide, a galeria de arte, o Memorial Alziro Zarur, a Sala Egípcia, o Salão Nobre, a lojinha de souvenir, os jardins subterrâneos e o Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, construído em 1994 para abrigar conferências da Legião da Boa Vontade (LBV).

A foto do cristal eu salvei do próprio site da LBV (www.tbv.com.br), já que quando avistamos a pirâmide, lá de baixo, ele parece bem pequeno, pois ela é bem alta, claro!

11 de fev de 2011

Memorial JK

Fomos visitar o Memorial JK, um dos pontos turísticos mais famoso de Brasília. É história pura, muito interessante, por mais que sabemos como foi a construção da capital, ver os detalhes, projetos, documentos fotos e conhecer a vida do seu fundador é fantástico, como voltar no tempo.

O projeto arquitetônico do memorial é do Oscar Niemeyer e a ideia foi da Sarah Kubitschek, esposa do fundador.

O lugar é lindo por fora e por dentro. Espaços muito bem planejados, iluminados e organizados armazenam documentos, livros, homenagens, roupas do ex-presidente, maquetes, os projetos e primeiros rabiscos de Brasília. Não podemos tirar fotos dentro do memorial, há monitores (vestidos todos de branco, conforme projeto do Niemeyer) em todas as salas e espaços, eles acompanham os visitantes e explicam algumas coisas sobre os livros, obras...









O Memorial JK localiza-se na Praça do Cruzeiro, bem perto da minha casa, um dos pontos mais altos da cidade. O local foi escolhido porque em 1957 foi realizada a primeira missa de Brasília.

Na entrada, um monumento de granito negro, reproduz a frase do Presidente Juscelino: "Tudo se transforma em alvorada nesta cidade que se abre para o amanhã." Todos os dias, três bandeiras ficam hasteadas: do Brasil, do Distrito Federal e de Minas Gerais.









O lugar mais lindo e impactante é câmara mortuária, sala com os restos mortais de JK. O lugar é escuro com um vitral grande, vermelho, com um anjo, feito pela artista Marianne Peretti. É impressionante e lindo! A luminosidade solar entra pela abertura de uma cúpula arredondada que se vê de fora. Segue uma foto que consegui na internet, não lembro o endereço (desculpa), mas é isso, eu tinha que colocar essa foto para mostrar. Eu fiquei sem palavras, a primeira vontade é de tirar foto, mas depois vem o sentimento de respeito que devemos ter em qualquer lugar que abrigue os restos mortais de alguém...desisti da foto e fiquei contemplando o espaço.

Dados: Com 25.000m2, o edifício do Memorial ocupa espaço correspondente a 1/5 do seu total, o que empresta grandeza e magnitude à obra. Os espelhos d'água, as rampas de acesso, o verde do gramado e dos jardins que emolduram o edifício monumental, todo em mármore branco, dão-lhe beleza plástica e dignidade condizentes com suas finalidades. Um pedestal de concreto armado, medindo 28m de altura, encimado por uma estrutura, também em concreto, sustém e protege, como mão em forma de concha, a estátua do Presidente Juscelino que acena para a cidade que construiu. Obra de Honório Peçanha, esta estátua, feita em bronze, mede 4,50m e pesa 1.500 quilos. À entrada do Memorial, 4 espelhos d'água, em diferentes níveis, cascateiam, dando-lhe extraordinária beleza e dimensão. Informações do site oficial www.memorialjk.com.br (se interessar pela vida desse visionário, entre e veja mais detalhes da sua história, fotos da época, projetos, etc).

1 de fev de 2011

A Torre mais famosa da capital

Vamos começar por um lugar que não é tão famoso para quem não mora em Brasília, a Feira da Torre, um dos lugares mais visitados nos fins de semana (segundo o site da secretaria de turismo, é o 5º lugar mais visitado da cidade). Tem todo um charme de ferinha meio hippie, meio afro, muitos artesanatos, comidas baianas, móveis rústicos (adoro), uma praça com fonte luminosa, com águas que dançam conforme o ritmo e, claro, a Torre.

Com quase 40 anos de existência, a feira é uma das paradas obrigatórias para o turista. O elevador da Torre trabalha sem parar, lá de cima a vista é linda, vemos Plano Piloto de Lúcio Costa, como nas imagens aéreas que aparecem em filmes.

É um dos espaços mais democrático de Brasília, um dos lugares favoritos para passeios dos moradores das cidades satélites e também do Plano Piloto. Muitas pessoas vão com seus filhos para brincar no gramado que existe em volta ou mesmo na praça da fonte, que fica ao lado. É um lugar perfeito para ficar sentado na grama, conversando, namorando, brincar com pipas e passar uma tarde diferente.

Ainda este ano, a Feira vai mudar de lugar, o novo lugar com barracas mais organizadas já está pronto e fica ao lado da torre, não mais no seu pé! Alguns dizem que vai perder o charme, não sei avaliar ainda, mas com certeza ficará mais organizada e mais confortável para os expositores.

Informações técnicas: A Torre é um projeto de Lúcio Costa, com 224m de altura, é local de visita é uma plataforma a 75m do chão, com capacidade para 150 pessoas. Numa plataforma mais baixa, a 25m de altura, fica o Museu de Gemas. A Torre de TV fica no Eixo Monumental. A Feira e o Mirante funcionam aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 17h45. Os dados são do site da EMBRATUR.

25 de jan de 2011

Brasília!


Pra começar, uma explicação básica (acredito que muitos já saibam, mas vale reforçar). Muitos dos textos que aparecerão aqui falarão da estrutura da cidade, seus eixos e asas, é que Brasília tem o formato de um avião. Pelas imagens dá para entender bem.

A rua na transversal se chama Eixo Monumental (com seis pistas), todas as outras são na horizontal, que são acompanhados pelos eixinhos (pistas duplas), de um lado ficam as ruas 100, 300, 500, 700 e do outro lado ficam as 200, 400, 600, 800, e temos as asas, a sul e a norte. Brasília é uma cidade planejada com tudo bem separado, ou melhor, setorizado, temos o setor das escolas, setor financeiro, bancário, dos hotéis e assim por diante. Eu moro no Sudoeste (atrás da asa sul, no final do avião), para guardar a minha rua demorei um pouco: QRSW 8, depois disso vem os blocos, números...e aí vai! Para quem veio do estado de São Paulo é bem diferente, mas tudo é uma questão de acostumar com o “jeitão” da cidade.


Pequena explicação



Deixo claro que os primeiros registros serão baseados na minha exploração da capital federal. As curiosidades e os lugares interessantes são muitos e a vontade de dividir e trazer todos para que vejam é ainda maior. Pra começar: valeu meu mestre-cobra (papai) Caio Albuquerque, que foi quem plantou essa semente e alimentou mais uma vez essa cobrinha.